flor-de-lotus-significado-e-simbolismo-d
logo_grupotheta_oficial.png

Blog

Buscar
  • Astrid Gambardella - Psicóloga

Constelações Familiares


Há quem diga que constelações familiares são uma forma de terapia breve, em que as pessoas entram em contato com questões mal resolvidas no próprio sistema familiar para encontrar a solução. Há quem afirme que são um caminho para a cura de doenças e para a liberação de padrões prejudiciais que se repetem na vida das pessoas. Há ainda quem diga que constelações são uma postura de vida, uma filosofia posta em prática. As constelações são tudo isso e ao mesmo tempo nenhuma explicação dá conta de defini-las por completo. Afinal, a resposta depende muito de quem está olhando para elas e perguntando: o que é você?

Para mim, as constelações são uma maneira de estar em paz com minhas raízes para que eu possa alçar livremente meus vôos. Como educadora, contadora de histórias e terapeuta sistêmica, é isso que sinto que vim fazer na vida: aprender esse caminhar de gratidão e liberdade. Pela gratidão reconheço os vínculos com quem me antecedeu e fez minha vida ser possível: Pai e Mãe, e todos os ancestrais! Pela liberdade encaro a responsabilidade de estar na vida, as partes mais doloridas da caminhada que após bem vividas se integram sem maiores pesos. E também desfruto da delícia de ser quem sou, de viver a vida que só eu posso viver, de deixar que a grande Vida viva de um jeito pessoal e intransferível através de mim.

As constelações são também e ao mesmo tempo o caminhar em companhia de outras pessoas que possam e queiram se beneficiar da minha caminhada e deixar algo de bom nessa troca. Por meio desse nosso encontro a Grande Vida se faz presente e segue seu fluxo, derramando bênçãos em nossos caminhos. O precioso e único caminho de cada um: cada pessoa enquanto um ser singular e ao mesmo tempo... todos nós ligados na grande teia da Vida.

Agora me volto para você e pergunto: o que você sente que veio buscar com as constelações? Alguns vão responder: “não, espera aí, nada! só estou curioso aqui lendo esse texto…” E no momento seguinte eu pergunto de novo: o que você sente que veio buscar? Uma resposta simples e profunda pode começar a brotar do seu coração. Aguarde, silencie. Um movimento grandioso de alma pode estar começando...

E se repito a pergunta, agora de outro jeito…: “mas afinal… o que você sente que veio buscar com as constelações?” Outras pessoas podem responder: a cura para minha doença, a solução para esses relacionamentos falidos, uma saída para tantos insucessos profissionais, financeiros… E então questiono: o que será que está por trás deste incômodo? Qual é a dor que realmente te atinge e se manifesta por meio de incômodo, doença, fracasso, infelicidade…? Seu coração começa a buscar o que está fora de lugar. E ele não se engana.

As constelações podem sim ser esse abrigo, esse acolhimento e essa abertura de caminho para o que busca seu coração. Essa facilitação que te ajuda a entrar em contato com sua alma, com a pergunta realmente essencial na sua vida que você talvez esteja tendo tanto trabalho em formular… mas que talvez te baste ficar em silêncio observando para apreciar o movimento que sua alma faz em busca da solução. E essa visão, sentir o impacto dessa experiência talvez seja mais do que suficiente para aquietar muitas perguntas e te colocar em contato com sua força e o que há de mais essencial.

Sentiu o chamado?

Seja bem-vinda.

Seja bem-vindo.